Sábado
06 de Junho de 2020 - 
BANCO É RESPONSÁVEL POR FRAUDE EM CARTÃO DE CLIENTE COM CHIP
NOSSA VISÃO: 1) COMPETÊNCIA; 2) COMPROMISSO; 3) ÉTICA; 4) TRANSPARÊNCIA; 5) EFETIVIDADE
BANDEIRANTE ENERGIA É CONDENADA SOLIDARIAMENTE COM CLUBE DE CAMPO -Acesse jurisprudência/Artigo
BANCO SAFRA: Banco é condenado por fraude em empréstimo consignado de aposentado
PREFEITURA DE NATAL É CONDENADA POR COBRAR INDEVIDAMENTE IMPOSTO SOBRE SERVIÇO DE QUALQUER NATUREZA
CONSTRUTORA PLANO E PLANO é condenada por danos morais e materiais

Fachin nega novo pedido de suspensão do processo que discute rescisão da delação da J&F

O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou, mais uma vez, suspender o processo de rescisão de acordos de colaboração de executivos da J&F. A decisão ocorre em meio às tratativas de uma repactuação do acordo entre delatores e o Ministério Público Federal (MPF). As primeiras negociações fracassaram. Com isso, o processo, que pode suspender as delações de quatro executivos, permanece na pauta de julgamentos do dia 17 de junho no Supremo. Na decisão, Fachin afirma que a PGR tem reiterado o embasamento dos pedidos de rescisão e que não cabe a ele incentivar, em nenhum momento, uma solução consensual do caso. Ao longo de março, as defesas de Joesley Batista, seu irmão Wesley, Ricardo Saud e Francisco de Assis negociaram com integrantes da Procuradoria Geral da República (PGR) os termos da repactuação da colaboração. A negociação previa uma multa de R$ 2 bilhões e ainda estabelecia 18 meses de prisão em regime fechado para Joesley e Saud, e outros dois anos entre os regimes semiaberto e aberto. O plano do procurador-geral da República, Augusto Aras, era investir a multa no combate ao coronavírus. Mas, os colaboradores recuaram e desistiram de assinar a repactuação. Segundo interlocutores de Aras, as tratativas, por enquanto, estão encerradas. O Supremo deu prazo até maio para uma definição sobre se haverá a retomada do acordo. No fim do ano passado, Aras reiterou pedido dos antecessores Raquel Dodge e Rodrigo Janot para anular os acordos. Segundo Aras, os ex-executivos agiram "com extrema deslealdade" com o Ministério Público. Durante os depoimentos, os delatores teriam deixado de informar sobre suposta orientação recebida do ex-procurador Marcelo Miller quando este ainda integrava o Ministério Público. Em setembro de 2017, em razão da suposta omissão em relação a Marcelo Miller, a Procuradoria – na gestão de Rodrigo Janot – pediu a revogação dos acordos de quatro executivos: Joesley Batista, Wesley Batista, Francisco de Assis e Ricardo Saud. Depois de assumir a PGR, Raquel Dodge reiterou o pedido para anulação dos acordos. No fim do ano passado, Augusto Aras fez o mesmo. "Não há como imaginar atitude mais desleal ao MPF, patentemente violadora dos princípios da boa-fé e da lealdade, do que a praticada pelos ex-colaboradores Joesley Batista, Ricardo Saud, Wesley Batista e Francisco de Assis, especialmente tendo-se em conta a amplitude da sanção premial que lhes fora assegurada em seus acordos de colaboração, a saber, a imunidade penal", afirmou Aras ao STF.
08/04/2020 (00:00)

Controle de Processos

Acesse em tempo real o seu processo.

Newsletter

Notícias

Previsão do tempo

Hoje - Rio de Janeiro, RJ

Máx
26ºC
Min
21ºC
Pancadas de Chuva a

Domingo - Rio de Janeiro, RJ

Máx
27ºC
Min
22ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Brasília, DF

Máx
27ºC
Min
15ºC
Parcialmente Nublado

Domingo - Brasília, DF

Máx
26ºC
Min
15ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Salvador, BA

Máx
27ºC
Min
23ºC
Chuva

Domingo - Salvador, BA

Máx
28ºC
Min
24ºC
Chuvas Isoladas

Hoje - São Paulo, SP

Máx
24ºC
Min
16ºC
Pancadas de Chuva

Domingo - São Paulo, SP

Máx
25ºC
Min
16ºC
Pancadas de Chuva

Hoje - Guarulhos, SP

Máx
27ºC
Min
15ºC
Pancadas de Chuva a

Domingo - Guarulhos, SP

Máx
24ºC
Min
16ºC
Pancadas de Chuva

Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . . .
Dow Jone ... % . . . . .
França 0,43% . . . . .

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 4,98 4,98
EURO 5,62 5,62
GUARANI 0,00 0,00
IENE 0,05 0,05
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitantes:  270103
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.